SÃO PAULO
Bondes 1957-1965
Fotos da coleção de

Allen Morrison

As fotografias seguintes foram tiradas por entusiastas norte-americanos de bondes entre 1957 e 1965. Nesse período, havia basicamente quatro tipos de bondes de passageiros em São Paulo. Havia uma pequena frota de carros abertos bidirecionais de 2 eixos, construídos no início do século pelas firmas J. G. Brill, St. Louis Car, Trajano de Medeiros e São Paulo Tramway Light & Power Co. e usados em linhas que não tinham balão de retorno. Todos esses bondes bidirecionais foram desmanchados em 1962, exceto os de número 331 e 573, que rodaram até 1966 na linha Belém, transformada em atração turística. Todos os outros bondes de São Paulo eram grandes modelos fechados unidirecionais. Havia 100 bondes de 4 eixos construídos em Montreal em 1926-1927 pela Canadian Car & Foundry Co. ("CC&F") e numerados de 1501 a 1699. Em virtude de sua cor rosada original, o público os apelidou de camarões. Havia 75 bondes comprados de segunda mão em 1947 da Third Avenue Railway em Nova York, que os construiu em 1936-1937, e que os novos proprietários brasileiros chamavam de "Centex" (do inglês "center exit", significando saída central) e numeraram de 1701 a 1849. Em Nova York, esses carros eram bidirecionais e obtinham energia de um terceiro trilho na rua. Em São Paulo eles receberam alavancas, tornaram-se unidirecionais e foram fechadas as portas do lado esquerdo. Eles rodaram o dobro do tempo em São Paulo do que em Nova York. E, finalmente, havia uma frota de bondes de 4 eixos construídos como modelos abertos de 13 bancos na década de 1910 e reconstruídos como carros fechados na década de 1950 - muitas vezes no estilo dos modelos CC&F e Centex - pela nova Companhia Municipal de Transportes Coletivos ("CMTC"). Os exemplos nesta página são os carros 1103, 1107, 1187, 1231 e 2103. Todos os bondes de passageiros em São Paulo tinham números ímpares. O serviço de bondes foi encerrado em 27 de março de 1968. [See this text in English]


(1) Rua Capitão Pacheco Chaves. Bonde bidirecional de dois eixos 491 na linha 32 Vila Prudente - Praça João Mendes. [Bill Janssen, 21/1/1957]



(2) É talvez a Av. Francisco Matarazzo, na altura da Rua Costa Júnior. Bonde bidirecional 551 na linha 17 Largo Pompéia - Praça do Correio. Esta linha foi extinta em 11/2/1962. [Bill Janssen, 21/1/1957]


(3) Lugar não identificado. Bonde bidirecional 573 na linha 24 Largo São José do Belém - Praça Clóvis Bevilaqua. [Earl Clark, 9/1963]



(4) Largo São José do Belém ??? Bonde bidirecional 331 na linha 41 Largo São José do Belém - Praça Clóvis Bevilaqua. Os bondes 331 e 573, acima, foram os últimos bondes abertos a circular na cidade – até 9 de abril de 1966. [Ray DeGroote, 4/1963]



(5) Av. Cruzeiro do Sul, Santana. Bonde não-identificado na linha 43 Santana - Largo de São Bento. Esta linha foi extinta em 5/1/1959. [Bill Janssen, 22/1/1957]



(6) Av. São João, no cruzamento com a Av. Duque de Caxias. O bonde puxa um reboque. [Earl Clark, 9/1963]




(7) Av. São João na altura da Praça Júlio de Mesquita. Bonde fechado de quatro eixos 1107; antigo bonde aberto reconstruído nos anos 1950 pela CMTC. [Earl Clark, 9/1963]




(8) Av. São João com Largo do Paissandu (à esquerda). Bonde tipo Centex (ex-New York) 1837 na linha 19 Perdizes - Praça do Correio. [Earl Clark, 9/1963]




(9) Av. São João com Largo do Paissandu. Bonde Centex 1815 virando em direção à Rua Capitão Salomão. [Foster Palmer, 1/6/1965]




(10) Praça Pedro Lessa/do Correio. Bonde Centex 1711 na linha 35 Lapa - Praça do Correio. [Bill Janssen, 22/1/1957]




(11) Av. São João, Largo do Paissandu. Bonde 1187 na linha 35 Lapa - Praça do Correio. Antigo bonde aberto reconstruído pela CMTC nos anos 1950. [Bill Janssen, 22/1/1957]




(12) Bonde Centex 1799, na linha 35 Lapa - Praça do Correio, saindo da Av. Brigadeiro Luís Antônio para acessar a Rua Asdrúbal do Nascimento. Observe que as portas no lado esquerdo foram removidas. Este carro 1799 foi preservado e faz parte hoje da frota do Bonde Turístico de Santos. [Bill Janssen, 22/1/1957]




(13) Praça 8 de Setembro, Penha. Bonde Centex 1825 na linha 7. A placa no céu acima, quase ilegível, diz "Parada de Bonde Ponto Final". Em comparação com o bonde 1799 na foto 12, a maioria dos bondes Centex mantiveram as portas em ambos lados, ainda que as do lado esquerdo não fossem mais usadas. [Earl Clark, 9/1963]




(14) Mesmo bonde 1825 na Praça 8 de Setembro, Penha [Earl Clark, 9/1963]




(15) Praça Cosmorama, Alto de Vila Maria. Bonde 1577, fabricado pela CC&F em Montreal no período 1926-1927, na linha 67 Alto de Vila Maria - Praça Clóvis Bevilacqua. [Earl Clark, 9/1963]




(16) Lugar não identificado. Bonde 1107, aberto convertido em fechado e visto também na foto 7; Centex 1771. Uma placa na janela do 1107 diz Praça do Correio. [Earl Clark, 9/1963]




(17) Praça da Bandeira, Vale do Anhangabaú, no encontro das ruas do Riachuelo e São Francisco. Bonde 1231, outra reconstrução da CMTC, na linha 5 Bela Vista. Esta linha foi abandonada em 30/4/1964. [Earl Clark, 9/1963]




(18) O bonde reconstruído 1103, com destino à Praça Clóvis Bevilaqua, na esquina das ruas do Manifesto (à esquerda) e do Grito, no bairro do Ipiranga. [Earl Clark, 9/1963]




(19) Av. Francisco Matarazzo, ao oeste do Largo Padre Pericles. Bonde Centex 1721 na linha 35 Lapa - Praça do Correio. [Bill Janssen, 22/1/1957]





(20) Lugar não identificado. Bonde CC&F 1525 na linha 101 Santo Amaro - Praça da Sé. [Coleção AM: fotógrafo desconhecido]




(21) Bonde reconstruído 2109 (no estilo Centex) saindo da Av. da Liberdade e entrando na Rua Dr. Rodrigo Silva. Linha 103 Brooklin - Praça da Sé. [Allan Berner, 9/1964]




(22) Linha 101/103 Santo Amaro - hoje Av. Ibirapuera. [Bill Janssen, 6/11/1958]




(23) Av. Ibirapuera na linha 101 Santo Amaro? CC&F 1519. [Fotógrafo desconhecido, 2/1964]




(24) Extensão da linha 101 Santo Amaro até a Capela do Socorro - hoje Rua Benedito Fernandes. CC&F 1547. [Bill Janssen, 21/1/1957]




O fotógrafo Earl Clark, de Cincinnati (USA), câmera na mão, chegando em outubro de 1963 ao aeroporto de Montevidéu (Uruguai), depois de fotografar os bondes do Brasil. Imortalizou em seguida os bondes da Argentina, Chile, Paraguai, Bolívia e Peru. O Sr. Clark faleceu em 8 de janeiro de 2018, enquanto esta página, dedicada à sua memória, era preparada.




–––––––––––––––––––––––––––––––––––––


Solicitação


Esta página precisa de mais informações sobre a identificação dos locais onde as fotografias foram tiradas. Se você reconhece uma rua, uma avenida ou uma praça, por favor escreva para Allen Morrison para que eu possa adicionar esse refinamento!


Agradecimentos


O autor agradece às seguintes pessoas pela ajuda em identificar os locais: Wanderley Duck, Antonio Gorni, Luiz J. Lahuerta, Ralph M. Giesbrecht, Luiz Bellotto, Rafael Asquini, Jorge Françozo de Morais, Luiz Salles, Milton Fernandes de Almeida, Alberto Henrique Del Bianco, Francisco Carlos Figliuolo...


–––––––––––––––––––––––––––––––––––––


Esta página está no ar
desde 14 de janeiro de 2018


Copyright © 2018-2118 Allen Morrison
ALL RIGHTS RESERVED
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS


As fotos coloridas desta página são protegidas pela Lei do Direito Autoral (Lei N° 9.610 de 19 de Fevereiro de 1998) e não podem ser reproduzidas sem a expressa autorização do autor.